Sobre o Projecto

Descubra mais sobre o programa Prato Sustentável.

O que é o Prato Sustentável?

Um Programa de incentivo a hábitos alimentares saudáveis e sustentáveis na idade escolar, segmentado em várias iniciativas que visam estimular o aumento do consumo de legumes e proteína vegetal nas idades mais jovens.

Porquê Aumentar o Consumo de Proteína Vegetal?

Vários estudos (1) (2), assim como entidades internacionais como a FAO/ONU(3) e a EAT (4), reconhecem que os grandes desafios modernos da sustentabilidade - como as alterações climáticas, a sobrecarga do planeta, e a escassez de alimentos perante o aumento populacional - podem ser resolvidas através do incentivo ao consumo de proteína vegetal e de uma redução no consumo de proteína animal. Em Portugal, o consumo de carne e peixe representa mais de 50% da pegada ecológica alimentar dos portugueses.

(1) https://www.nature.com/articles/s41586-018-0594-0
(2)  https://link.springer.com/article/10.1007/s10584-014-1169-1
(3) http://www.fao.org/3/ca6640en/ca6640en.pdf
(4) https://eatforum.org/eat-lancet-commission/eat-lancet-commission-summary-report/

Oferta de Formação para a Restauração Colectiva

Oferecemos uma formação gratuita de reforço de competências na confecção de menus vegetarianos para a restauração colectiva. A formação é dirigida a funcionários das cantinas escolares, assim como empresas de catering que forneçam os refeitórios escolares.

Porque aderir a esta iniciativa?

Um prato sustentável

O consumo de proteína animal é o factor que mais peso tem na pegada ecológica dos portugueses. Por outro lado, a proteína vegetal tem uma pegada ecológica curta, dado ser uma fonte primária de proteína.

Prato Económico

Segundo a Direcção Geral de Saúde (2015) é possível planear e confecionar refeições vegetarianas que sejam saudáveis e de custo baixo. O custo médio de uma refeição vegetariana na restauração colectiva é 0.82€.

Prato Saudável

Em Portugal, o consumo de carne, pescado e ovos é 3x superior ao recomendado pela Roda dos Alimentos. O consumo excessivo destes alimentos é o principal contribuidor para algumas das doenças crónicas mais comuns: diabetes, hipertensão, doenças coronárias, cancro, etc.